Emagrecimento

A leptina é produzido nas células de gordura e é um hormônio regulador do apetite, sua ação se da no hipotálamo, região do cérebro que controla a fome e ingestão alimentar. Além de promover redução do apetite este hormônio também está relacionado com o metabolismo e ao gasto energético do organismo.

Em um paciente obeso o excesso de produção de leptina pode levar ao que se chama de resistência a leptina o que impede a sua ação moduladora e dificulta o emagrecimento. Bem modulada a leptina tem influencia na produção de hormônios sexuais, tanto no homem como nas mulheres, melhorando a síntese proteica e o ganho de massa muscular na atividade física, elevando o gasto energético e consequentemente a queima de gordura.

A falta de nutrientes principalmente do zinco afetam a sua produção. A leptina tem seu pico de maior liberação à noite sendo muito importante uma boa qualidade do sono: pessoas que dormem mal são mais propensas a ganho de peso. Uma dieta bem elaborada, mais proteica e rica em zinco estimula a produção da leptina de maneira muito positiva favorecendo a perda de peso.

Por isso analisar a leptina no tratamento de emagrecimento e incentivar sua ação central no hipotálamo é indispensável para ter um resultado esperado, através de um médico nutrólogo.